Os Símbolos Irlandeses

Bandeira IrlandesaBandeira Irlandesa
As cores da bandeira da República da Irlanda representam parte da história do país, aliás, uma trágica parte da história. O verde representa os cristãos (vindos da tradição Gaélica), o laranja os protestantes (Ingleses) e o branco a paz. Depois explico melhor os desentendimentos entre essas duas religiões, mas o que é importante dizer agora é que isso vem acontecendo desde que a Irlanda se tornou colônia da Inglaterra em 1175. Hoje, a parte sul da Ilha onde está a República da Irlanda é independente, mas a Irlanda do Norte ainda faz parte do Reino Unido. Nota: a República da Irlanda não comemora a Independência em respeito aos irmãos do Norte.

 

HarpaHarpa Irlandesa
É um dos símbolos mais bonitos que já vi. Um lendário herói e líder irlandês, Brian Boru, guiava o exercíto e ia para as batalhas sempre carregando uma harpa nas costas. Ele morreu na Batalha de Clontarf em 1014 lutando contra os Vikings. A Guinnes possuía os direitos de usar a imagem da Harpa e não os concedeu ao governo irlandês, então, alguém teve uma idéia simples e genial: trocar o lado da harpa, rsrsrs. E assim foi feito, hoje é símbolo nacional e também da Guinnes, mas cada imagem para um lado.

 

Shamrock Trevo de três folhasShamrock
Vem do gaélico e significa flor de três folhas. Ela está por toda parte nas terras irlandesas. Quando Saint Patrick (São Patrício) - padre missionário que veio catequizar o povo celta e hoje é padroeiro da Irlanda - chegou por aqui ele utilizou a folhinha para representar a Santíssima Trindade, uma maneira bem didática para explicar ao povo pagão da Irlanda (que só acreditava em Deuses da natureza) a compreender o significado do Pai, Filho e Espírito Santo.

 

LeprechaunLeprechaun
É uma figura folclórica da Irlanda. Também chamado de Duende Irlandês. Segundo o dito popular ele guarda a chave para tesouros escondidos e para pegar esse tesouro é preciso segui-lo, porém é impossível capturar um Leprechaum porque eles são muito espertos e maldosos. A pronúncia é "Leprecón".

Existem ainda muitos outras crenças e folclores da Irlanda. Eles também gostam de colecionar coisas e fatos ligados ao que dá ou não dá sorte, é muito engraçado. Aqui gato preto é sinal de boa sorte, por exemplo.

 

Os Celtas e Suas Simbologias

As manifestações artísticas celtas possuem marcante originalidade, embora denotem influências asiáticas e das civilizações do Mediterrâneo (grega, etrusca e romana). Há uma nítida tendência abstrata na decoração de peças, com figuras em espiral, volutas e desenhos geométricos. Entre os objetos inumados, destacam-se peças ricamente adornadas em bronze, prata e ouro, com incisões, relevos e motivos entalhados.

A influência da arte celta está ainda presente nas iluminuras medievais irlandesas e em muitas manifestações do folclore do noroeste europeu, na música e arquitectura de boa parte da Europa ocidental. Também muitos dos contos e mitos populares do ocidente europeu têm origem na cultura dos celtas.

A escrita, desenvolvida tardiamente (alfabeto ogâmico), era considerada mágica, e somente os seus sacerdotes a aprendiam, os famosos druidas. Antes disto, toda a cultura era passada oralmente e, por isso, muito do que sabemos hoje é uma mínima parte da real contribuição deste povo para a humanidade e ainda assim misturada com o paganismo clássico e com o cristianismo.

Inventaram lendas belíssimas, que estão entre as mais famosas dos dias de hoje, como as história do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda, Tristão e Isolda, além de terem criado quase todos os contos de fada (que foram se modificando com o tempo).

 

 

Símbolos Celtas:

Claddagh

Como quase tudo o que se tem da cultura dos celtas, a simbologia do Anel Claddagh está inserida em uma lenda:
“Por volta do século XVI um jovem ourives apaixonado de Galway chamado Richard Joyce foi raptado por piratas. Pensando na sua donzela, ele desenhou um anel para expressar o que ele sentia.

Consistia num coração, como expressão
do amor, uma coroa como sua lealdade e em mãos como amizade.

Ao retornar após cinco anos, ficou extasiado ao saber que ela não havia se casado, e a presenteou com o anel. O claddagh tem sido considerado um presente de casamento desde então.”
Outras lendas dizem que o desenho foi trazido das Cruzadas por um rapaz capturado pelos Sarracenos. Qualquer que seja a história, se tornou um forte símbolo de afeição. O coração no centro do desenho representa o amor, as mãos que o circundam representam a amizade, e a coroa em cima (se presente) simboliza fidelidade. Os claddagh são usados na mão esquerda, virados para o corpo, se seu coração já foi conquistado. Se não, usa-se o anel na mão direita, virado para a unha.

 

Cruz Celta

O Símbolo da cruz, bem mais antigo que o cristianismo era uma das principais formas de expressão artística entre os celtas. É seguida em sua base por um círculo, que representa a unicidade e o ciclo eterno. São bastante encontradas nas regiões celtas da Irlanda e da Grã-Bretanha sendo comum a existência de cruzes construídas em pedra.

A maioria dessas cruzes foram construídas antes do século VII, tendo algumas delas inscrições com runas.
A partir de 1960 foi adotada como símbolo político dos nacionalistas por ter grande relação com a cultura ocidental e suas tradições.Os nórdicos adotaram a cruz celta como símbolo de Odin.
 

 

 

 

Triskele, Triskelium ou Triquetra

Descrição: Uma espécie de estrela de três pontas inserida em um círculo, ou três espirais “com pernas” ligadas de forma triangular dando idéia de movimento. Possui diversas variações dentro da arte de “trançar” dos povos celtas.

Tempo e Espaço: Tem sua origem ligada aos povos indo-europeus (que deram origem aos Celtas e Nórdicos), tendo achados arqueológicos que lhe remetem uma idade superior a 5.000 anos (3.000 a. C). Entre os celtas era um símbolo diretamente ligado ao fluxo das estações, já que eles, só contavam três (3); Primavera, Verão e Inverno. Alguns estudiosos definem que os povos celtas de algumas regiões acreditavam em somente 3 elementos: O Céu (ar), A Terra (terra e fogo) e o Mar (água). Tudo isso comprova a tese de que os Celtas consideravam o três como sendo um número sagrado. Atualmente as Igrejas Irlandesas Cristãs utilizam muito dos símbolos celtas sincretizados a conceitos cristãos no intuito de preservar parte das raízes históricas, culturais e religiosas da Irlanda.
 

 

Triskle

Triskle é um símbolo celta que representa as tríades da vida em eterno movimento e equilíbrio.
Exemplos:
* nascimento, vida e morte
* corpo, mente e espírito
* céu, mar e terra

É um dos elementos mais presentes na arte celta, e tem sua origem atribuída aos povos mesolíticos e neolíticos.
O triskele é um antigo símbolo indo-europeu.

O triskle, com suas três pontas, está associado ao fluxo das estações e por conseqüência representa a própria Deusa. Ademais, temos uma conexão óbvia com as três faces da Deusa (Donzela, Mãe e Anciã), bem como às três fases da lua (crescente, cheia e minguante), ou ainda com nossa natureza tríplice (corpo, mente e alma). Assim sendo, fica clara a importância do triskle para a religião da Deusa. Sua presença em achados arqueológicos em terras celtas, da Irlanda à Europa Oriental, atesta sua ampla adoção pelos Antigos.
 

Nós Celtas

 

Existem poucas informações à respeito dos nós e de sua exata simbologia de acordo com cada tipo de dobradura. Mas o que pode concluir a partir do que se tem é que os celtas exprimiam com este tipo de desenho a idéia de que tudo está ligado, amarrado e de forma simbiótica, a evolução de todos se dá de forma conjunta.

É um símbolo da igualdade de essências e da interconexão de toda a vida (como vindo de uma coisa só).

Curta o Brasileire.com !